Esporte na vida dos jovens: de que forma influencia a formação?

4 minutos para ler

Quantas vezes pais com filhos agitados, indisciplinados ou sedentários demais já ouviram o conselho de “colocá-los para fazer algum esporte”? Muitas! E isso não é por acaso. O esporte na vida dos jovens e das crianças pode, realmente, trazer grandes mudanças de comportamento e, até mesmo, de estilo de vida.

Em uma realidade como a nossa, em que estamos sempre conectados a computadores e smartphones, a prática de atividades físicas se torna ainda mais essencial para a juventude. Isso porque ela é capaz de tirar as nossas crianças e adolescentes da inércia, além de ajudá-los a se socializar — hábitos que parecem estar cada vez mais raros.

Ou seja, além dos benefícios para o corpo, o esporte faz muito bem à saúde mental. Quer saber mais sobre o tema e por que você precisa tirar os seus filhos do seu sofá agora mesmo? Basta continuar com a gente!

O esporte de acordo com cada idade

Crianças

Correr, pular, movimentar-se. Parece que as crianças menores já fazem atividades físicas o dia inteiro, não é mesmo? Com esse pensamento, muitos pais deixam de apresentar atividades esportivas aos pequenos, crendo que eles já se movem o suficiente.

Mas a prática de um esporte traz diversos benefícios às crianças, como o desenvolvimento físico, motor e social. Além disso, ao participar de uma atividade com regras e condições envolvidas, os pequenos aprendem sobre compromisso, conceito de competitividade e trabalho em equipe e, também, a lidar com a frustração — afinal, nem sempre é possível ganhar.

Adolescentes

Já nessa fase da vida, o esporte atua promovendo diversos benefícios à saúde, visto que o corpo está passando por diversas transformações. Além disso, a prática esportiva pode ajudar com as questões psicológicas desse jovem, que estão em construção.

Os motivos de acrescentar o esporte na vida dos jovens

Vale lembrar que é preciso considerar o gosto pessoal para que o esporte seja bem-aceito e praticado por um longo tempo. Não adianta, por exemplo, insistir na natação se o seu filho prefere o futebol, por exemplo. Dê a ele a liberdade de escolher!

Atividades motoras

As práticas esportivas têm a capacidade de desenvolver as habilidades motoras dos indivíduos. Alguns jovens mais desajeitados podem melhorar as suas habilidades em esportes com bola ou que exijam mais coordenação, como a capoeira, a natação e a dança.

Aspectos emocionais

Como dissemos, especialmente na adolescência, praticar um esporte traz grandes benefícios para a saúde mental. O jovem pode fazer novos amigos, sentindo-se parte de um grupo, e conhecer capacidades que ele nem sabia que tinha, o que vai melhorar a sua autoestima.

Por fim, praticar atividades físicas faz com que o corpo libere hormônios da felicidade e do bem-estar, ao mesmo tempo em que diminui o do estresse — ou seja, transtornos psiquiátricos, como a depressão, podem ser tratados e evitados.

Condições de saúde

O organismo, como um todo, responde de forma muito positiva à prática de esportes, especialmente durante a juventude, quando as transformações são grandes e relevantes.

Entre os principais benefícios nesse aspecto, podemos citar o desenvolvimento de músculos e ossos, a diminuição da pressão arterial, a prevenção de doenças (como a osteoporose e o diabetes), a redução da dor no corpo em geral, proveniente do próprio crescimento.

Praticar esportes desde a infância e juventude ajuda a construir um adulto saudável e com mais noções de responsabilidade, compromisso e trabalho em equipe. Se você, pai ou mãe, já é adepto de alguma modalidade, leve o seu filho para conhecê-la — vocês podem se surpreender.

Mas se você o acompanha no sofá, que tal escolherem juntos uma atividade? Ou, então, procure saber o que os amigos praticam e em que ele demonstra mais facilidade. Pode ser um bom primeiro passo!

Gostou deste conteúdo? Que tal descobrir agora a relação entre estudos e esporte? Boa leitura!

Posts relacionados

Deixe um comentário